Ads Top

Crítica | A Lenda de Golem

📷 PlayArte Pictures / Divulgação



Observa-se uma exigência cada vez maior em filmes de terror que sejam ''fora da curva''. Filmes sangrentos, recheados de sustos e found-footage parecem ter sido esquecidos. Nesse novo cenário percebe-se filmes que se preocupam em trazer enredos diferentes e histórias desconhecidas para o público. Esse é o caso de A Lenda de Golem, distribuído pela PlayArte Pictures e com estréia marcada para esta quinta-feira (13/06), no Brasil.

O filme segue Hanna, esposa do filho do rabino de uma pequena e afastada comunidade judia na Lituânia. A protagonista sofreu a perda de um filho e tenta, através dos estudos do Torá e da Cabala, entender por que Deus levou seu filho. As mulheres judias são proibidas de ler e estudar a religião, mas isso não impede Hanna de mergulhar em conhecimentos proibidos. 

Quando a peste negra se espalha pela Lituânia e a pequena comunidade não é afetada, uma aldeia próxima culpa os moradores e sua religião pela disseminação da doença, e fazem um cerco impedindo qualquer pessoa de entrar e sair da vila, até que a a doença seja erradicada. Hanna, discordando da violência e acusações dos estrangeiros, resolve aplicar seus conhecimentos da Cabala oculta para criar um Golem, criatura feita de lama que contem o nome secreto de deus em seu interior para proteger a aldeia e vingar seus inimigos. Mas quando ela cria a entidade e as coisas começam a sair do controle, a mulher precisa tomar um decisão que pode vir a sacrificar toda a vila.

O filme é dirigido pelos irmãos Yoav Doron Paz (JeruZalem), e ambienta muito bem a questão do ritos religiosos locais. A rotina das crenças e do ensinamento do Torá é extremamente bem explorada, assim como a criação do Golem. Porém, o ponto mais positivo do filme é o protagonismo feminino dele. Hanna é uma mulher inteligente que tenta lidar com sua dor da única forma que ela entende, e quando ela consegue gerar uma vida que pode substituir seu filho, tudo pode mudar.

A Lenda de Golem peca bastante no desenvolvimento após a revelação a entidade, mas sem nunca perder seu fôlego. Apesar de seu baixo investimento, o filme se destaca pela sua originalidade e pela forma que ele leva a lenda do Golem a sério, se posicionando como um drama sobrenatural feminista que vale a pena ser conferido.


Assista ao trailer:

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.