Ads Top

Resenha | Confissões do Crematório



A única certeza da vida é a morte. Todos nascemos sabendo nosso destino final mas vivemos em uma sociedade onde a morte é um tabu. Caitlin Doughty teve seu primeiro emprego como assistente em um crematório, cargo que mudou toda sua vida. Em seu livro ''Confissões do Crematório'', trazido ao Brasil pela Darkside Books, a autora conta com detalhes como é trabalhar num crematório, discursa sobre a morte a forma que nós, enquanto sociedade ''civilizada'' encaramos nosso destino final.

As confissões de Caitlin vão de situações hilárias e recheadas de humor ácido a algumas bastante pesadas fazendo o leitor pensar e refletir a própria mortalidade. O livro é quase que uma conversa (e se você já viu o canal da autora, você consegue ouvir a voz dela enquanto lê) onde você se vê encurralado e forçado a pensar sobre a morte e acredite, isso não é uma coisa ruim.

Caitlin defende a ideia de que lidamos com a morte de uma forma não saudável. Ela é ocultada de nós, e quando perdemos alguém, a indústria funerária se apossa do corpo e direciona as famílias para decisões que as mesmas não tem capacidade de tomar, cobrando valores inflacionados em funerais e cremações e não permitindo a família que expresse seu luto de forma natural e em seu próprio tempo.

Ela desmente mentiras contadas pela indústria, como por exemplo, que o corpo é propriedade do Estado e não da família, ela conta segredos de hospitais e funerárias (se você ver um enfermeiro empurrando uma maca vazia coberta por um lençol branco, saiba: tem um corpo dentro de um fundo falso na maca) e vai nos mostrando o quanto a morte, um processo natural e que deve ser encarado de forma natural, é ocultado, inflacionado e deturpado nos dias atuais.

Em meio aos processos de embalsamento e cremação, Caitlin faz com que o leitor entenda os processos de descarte do corpo e decomposição. Ela remove os tabus em volta da morte e fala sobre ela de forma aberta e tranquila, afinal.

A edição da Darkside Books, como de costume está impecável. A capa dura com uma arte lindíssima harminza com o corte vermelho e os detalhes interiores, e é preciso dizer que essa edição está entre as mais belas publicadas pela editora. Ela vem com uma carta de tarô e uma fita preta para marcar as páginas.

Confissões do Crematório é um livro que todos deveriam ler. Por que lidar com a morte como algo absurdo e não natural? Seria a chave de uma vida mais plena e intensa aceitar a morte como parte dela? O livro é transformador, te faz reconhecer a morte, lidar com ela e como a própria autora diz, perceber ela como uma amiga, como um destino normal e esperado, afinal, por que temer o inevitável?

Você pode adquirir o livro no site da editora, bem aqui!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.