Ads Top

Crítica | O Homem Invisível



Os Monstros da Universal estão de volta ao cinema

Uma história já popularmente conhecida, O Homem Invisível, considerado um dos grandes filmes de horror do estúdio Universal Pictures, possuindo inúmeras versões e sequências, acaba de ganhar mais uma versão. Adaptação do livro de H.G. Well, publicado pela primeira vez em 1897, conta a história de Griffin, um cientista que dedicou-se à pesquisas em sistemas óptico e inventa uma maneira de alterar o índice de refração de um corpo, fazendo com que ele nem reflita ou absorva luz, e assim, tornando-se invisível. Ele realiza o procedimento em si mesmo, mas falha em sua tentativa de reverter.

O longa-metragem original foi lançado em 1933, dirigido por James Whannell, um grande diretor de go gênero de terror da época. E agora, chegou a vez de Leigh Whannell realizar um filme que será um marco para a ficção-científica e o horror.

A nova narrativa foca em Cecelia Kass (Elisabeth Moss, provando mais uma vez ser uma brilhante atriz), vítima de abusos recorrentes do seu marido, o cientísta Adrian Griffin (Oliver Jackson-Cohen). Após seu suposto suicídio, ela tenta recomeçar sua vida, e descobre que ele deixou para ela uma quantia de US$ 5 milhões de dólares, sob a exigência de que ela não pode ser diagnosticada como "mentalmente incapaz". Porém, estranhos eventos começam a ocorrer em torno da personagem, deixando ainda mais forte a ideia de que Griffin ainda está vivo e que de algum modo descobriu uma forma de ficar invisível.

Diferente de outras versões, Whannell optou por não colocar a figura do Homem Invisível como personagem central, e sim um personagem secundário, abordando com muita habilidade as experiências reais do horror que as mulheres vivenciam como vítima de abuso, e a dificuldade para provar sua denúncia.

Outra mudança foi por não optar por uma pegada mais horrorizante, e sim focar num lado mais psicológico de toda a história, o tornando ainda mais tenso. Isso faz com que as cenas em que a protagonista está sendo assombrada pelo seu "fantasma" se torne mais assustadoras do ponto de vista psicológico.

Um filme lindo esteticamente e com uma atuação impecável vinda por parte da  grande atriz Elisabeth Moss. O Homem Invisível chega aos cinemas brasileiros no dia 27 de fevereiro.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.